Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

the veggieana

conversas com a ana que nasceu veggie

the veggieana

conversas com a ana que nasceu veggie

mas o que comes?

Ontem, num jantar de grupo, perguntaram-me o que comia eu afinal.
Sem brincadeiras; eu todas as semanas tenho que responder a isto. Tudo porque a sociedade dos dias de hoje, ainda não se abriu ao diferente; os pais continuam a ensinar que é NORMAL comer animais e os jovens não questionam isso (não questionam nada!), apenas aceitam-no e nem tentam ver se há alternativas.
Sou sincera: já me alimentei muito mal (tanto quando consumia animais como depois) e nem sempre fui feliz com a minha alimentação e o meu estilo de vida e por isso mudei e continuo a mudar, na procura dessa aceitação de mim mesma.
Nos meus 16 aos 18 anos, o meu lanche da manhã era um Panike de chocolate (massa folhada cheia de gordura  e chocolate cheio de açúcar!!), o meu almoço era uma tosta mista/fiambre/queijo especial (que inclui batata frita e molho de francesinha). Isto não teria problema se fosse uma vez por outra, mas era todos os dias! Era capaz de comer três embalagens de bolachas por semana (já leram os rótulos daquelas coisas que são tudo menos comida?) e nunca ninguém me disse que isto era errado!
Quando a meio dos meus 18 anos,  decidi deixar a carne, a minha alimentação passou a ser mais saudável porque passei a consumir peixe (antes raramente o fazia), mas mais nasa mudou. Quando deixei o peixe a minha alimentação entrou em declínio e piorou quando deixei os lacticinio à meio ano. Não comia o suficiente, comecei a ter problemas de ansiedade que foram agravados pelo stress e comecei a praticar desporto com imensas falhas de alimentação - não por ter deixado de comer tudo o que era de origem animal, mas porque NÓS NUNCA FOMOS ENSINADOS A COMER! Alimentar-nos é muito mais que pegar num pacote que leite e num pacote de bolachas e sair de casa! O que nos alimenta não vem em pacotes! Vem da natureza!
Para desmistificar a coisa (e ver se partilho os meus pequenos conhecimentos):
(quero alertar que não sou médica, nem nutricionista; o que menciono aqui é em base no que li, no que me foi transmitido e por experiências próprias!)
Antes de mais a nossa alimentação deve ter por base: Macronutrientes (provém de alimentos integrais, não refinados ou processados. Eles dão-nos hidratos de carbono - são preferiveis os complexos devido ao indice glicémico -, proteinas e groduras boas.) e Micronutrientes (são as vitaminas que vêm das frutas e vegetais e não de frascos de suplementos!)

Com isto, cada refeição deve ter SEMPRE macronutrientes - Hidratos de carbono, proteínas e gorduras boas (abacate, oleo de amendoim, oleo de coco, azeite virgem ect) - isto vais fazer com que o nosso PH se mantenha neutro - um PH ácido torna o nosso corpo mais suscetivel a infecções.
Como adaptar isto ás nossas dietas?

Num regime alimentar normal isto está quase bem implementado (se retirar-mos todas as merdas que incluimos na nossa alimentação e que vem em embalagens! aprendam a ler rotulos, por favor! se não conhecem o ingrediente, não o comam!): num almoço temos arroz (hidrato de carbono - era preferivel se fosse complexo, tipo arroz integral), carne ou peixe (proteina) e salada/vegetais/sopa (micronutrientes) - as gorduras encontram-se na proteina animal e no molho da salada/sopa.

E agora, o bicho de sete cabeças que é aplicar isto ao regime vegetariano? ui!

Bem, o mito de que, se não for pela carne não obtemos os aminóacidos essenciais (o que dentro do nosso corpo se transforma na tão falada proteina!) é errado. Há estudos (depois posso colocar aqui alguns!) que provam que através da junção de um cereal integral (hidrato de carbono complexo de absorção lenta) - arroz integral,  trigo, trigo sarraceno, millet, cevada, centeio, amaranto ect - e de uma leguminosa - feijão, lentilhas, ervilhas, favas - obtemos os aminóacidos essenciais! Uau! Fantástico! Agora só falta juntar os legumes e as gorduras boas( obtemos o omega 3 principalmente atraves das sementes de linhaça).
Eu como super alimentos por escolha, não porque não sobreviva sem eles. Contudo á alguns bastante interessantes como as sementes: chia, linhaça, canhamo, alfafa, girassol, abobora; ou o oleo de coco que serve para cozinhar, como creme de corpo, ect devido á sua acção cicatrizante e anti-inflamatória, os frutos secos são outra maravilha dos deuses! Eles contem as doses certas de macronutrientes! são um optimo snack. A quinoa é o cereal especial: era contem os hidratos de carbono e proteinas necessarios, sem ser preciso acrescentar leguminosas!

Bem, penso que foi esclarecedor e já é muita informação; contudo, se tiverem dúvidas, perguntem! :)

 

IMG_20150820_124856.jpg

 

o meu almoço no Suribachi (macrobiótico)

mais em:  https://instagram.com/ana_f_coelho/

4.jpg11136121_934643186557912_6964567924178933434_o.jpg

11138486_1140631009296045_4029322292340376578_n.jp10991262_401733553335265_3119789005206724406_n.jpg

 

 

 

Há muitos bons sites onde podem encontrar informações sobre o assunto:

 https://www.facebook.com/groups/crescervegetariano/?fref=ts

http://compassionatecuisineblog.com/

http://www.institutomacrobiotico.com/pt-pt (macrobióticos consomem peixe e carne esporádicamente, mas o seu estilo de vida é bastante saudável)

http://patriciaiscooking.blogspot.pt/

https://instagram.com/theveggievoice/

 

ah! e vegetariano quase não come soja!! soja só faz bem se for fermentada e em doses controladas; leite de soja é indigesto e a soja por si não é bem aceite pelo organismo humano!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.